MEMÓRIAS DO SOBRINHO DE MEU TIO

R$39,90

2x de R$19,95 sem juros
5% de desconto pagando com Depósito em conta bancária (Bradesco)
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Itiban Comic Shop Av. Silva Jardim, 845, Curitiba - Atendimento de Segunda à Sexta das 10:00 às 18:00 e Sábados das 10:00 às 17:30
    Grátis
Devolução
Produtos com defeito* , poderão ser devolvidos ou trocados,mediante disponibilidade em até 07 ( sete ) dias úteis.

Sobre o livro:

Uma história de corrupção, troca de favores e politicagem ganha contornos folhetinescos nas mãos de Joaquim Manuel de Macedo. Nesta deliciosa crônica ambientada no Brasil imperial, um herdeiro esperto e sua ambiciosa esposa fazem o que for preciso por dinheiro e poder. Introdução de Flora Süssekind.

"O diabo é que em política no século XIX quem fecha uma porta abre outra, e quando não quer abrir, às vezes o povo arromba", observa o debochado e autocomplacente narrador de Memórias do sobrinho de meu tio, romance de Joaquim Manuel de Macedo escrito entre os anos 1867 e 1868. Fraude eleitoral, jornalistas a mando de poderosos e alianças espúrias são alguns dos temas da prosa ligeira dessa sátira política.
O sr. F., narrador destas memórias, herda uma pequena fortuna, logo acrescida pelos outros tantos contos de réis de sua prima Chiquinha, com quem se casa. Juntos, os dois empreendem uma busca voraz por mais dinheiro e poder, este último representado pela eleição de F. a presidente de província (hoje o equivalente a governador). No meio do caminho, conchavos, amizades interesseiras e lances rocambolescos que parecem exemplificar a interpretação do crítico Antonio Candido sobre a obra de Macedo, que apresentaria duas tendências: o realismo e o tom folhetinesco.
Egoísta, anárquico e paradoxalmente um moralista, o protagonista parece antecipar as vestes do conto "Teoria do medalhão", de Machado de Assis, em que a busca de poder e prestígio no Brasil parece estar acima de tudo, inclusive e principalmente da honestidade.


Sobre o autor:

Joaquim Manuel de Macedo (Itaboraí, 24 de junho de 1820 — Itaboraí, 11 de abril de 1882) foi um médico, jornalista, político, professor, romancista, poeta, teatrólogo e memorialista brasileiro.
É o patrono da cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras.


Detalhes da edição:

autor: Joaquim Manuel de Macedo

páginas: 376

comprimento: 20,00 cm

largura: 13,00

altura: 2,00 cm

peso: 0,360 kg

capa mole

Compre e receba em casa

Entregas em Curitiba - Consulte via WhatsApp

Não encontrou o que procura?

Envie uma mensagem para (41) 3232-5367

Site seguro

Protegemos seus dados